Eles conseguiram mudar para melhor a vida em seus condomínios…

A decisão para aderir à associação foi feita em assembleia, com a aprovação de quase todos os condôminos e valor mensal fixo estipulado para a contribuição. “Os moradores contribuem sem problemas, eles elogiam bastante”, relata Marli, ao comemorar ainda que o parque promoveu o encontro entre os condôminos, que em grande parte nem se conheciam. “Muitos costumam caminhar juntos com os cachorros e também praticar yoga e meditação em grupo, com voluntário que conduz as atividades”, orgulha-se a síndica.

Lixo que vira vida

A grande quantidade de lixo orgânico produzida no Condomínio Jardim Rio Tavares, no Sul da Ilha, poderia simplesmente ser encaminhada a um aterro sanitário e poluir ainda mais o meio ambiente nos arredores de Florianópolis. O síndico Edson Machado Pinto, no entanto, decidiu mudar esse destino e ainda melhorar a qualidade de vida dos moradores.

Após um intenso trabalho de pesquisa, incluindo visitas aos pátios da Companhia Melhoramentos da Capital (Comcap), Edson apostou na implantação de um sistema de compostagem no condomínio, feito por empresa especializada, em que todos os resíduos orgânicos das casas, além das podas e galhadas, são transformados em adubo que, depois, são utilizados pelos próprios condôminos.

Após uma forte campanha de conscientização e motivação, a ideia caiu no gosto dos moradores e a aprovação foi feita em assembleia. “O condomínio precisa estar receptivo para que um projeto deste evolua, e a administração do condomínio, pelos síndicos e conselheiros, deve motivar a discussão e a conscientização do morador”, comenta Edson.

Agora, o próximo passo do síndico é colocar em prática um projeto de separação total dos recicláveis, que já são recolhidos por catadores conhecidos da região. “É preciso desenvolver a consciência social dos moradores, para que eles entendam que a separação adequada dos resíduos recicláveis no condomínio permite, no mínimo, que famílias de catadores tenham uma base de sustento mais fácil, e que o município gaste menos com a logística desses materiais”, destaca Edson, que em suas campanhas estimula, inclusive, os pais a mostrarem às crianças a realidade que todos vivemos em relação ao problema do lixo.

 

Fonte: CondomínioSC  (Publicado em Síndico)