DESABAMENTO NO RIO ARTIGO – PARTE 2

Familiares durante o sepultamento do corpo do porteiro Cornélio Ribeiro Lopes, de 73 anos

Muito abalada, Eunice parecia não acreditar que o marido tornava-se a primeira vítima da tragédia a ser enterrada. Na  noite do desabamento, ele decidira fazer hora extra na sala da Tecnologia Organizacional (TO), onde acontecia uma obra, apontada como um dos possíveis fatores que contribuíram para a tragédia.

Pelo menos 200 pessoas acompanharam o enterro de Celso, no Cemitério do Maruí, em Niterói. O pai do administrador,  Celso Renato, contava que o filho não costumava reclamar por trabalhar demais, como aconteceu no dia da tragédia.

Desabamento Rio de janeiro

Páginas: 1 de 2 | Anterior

 

One thought on “DESABAMENTO NO RIO ARTIGO – PARTE 2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *